Comissão de Moradores de Santa Cruz de Benfica Comissão de Moradores da Damaia        
email: geral@cril-segura.com         telm: 915565471 telm: 936480762


CRIL – OBRA ILEGAL EM EXECUÇÃO

Apelo público à Procuradoria Geral da República e à Provedoria de Justiça

Após terem sido feitas várias denúncias públicas da ilegalidade do projecto que está em execução e exposições/queixas enviadas à Procuradoria Geral da República, tanto pelos moradores, como pela Comissão Parlamentar das Obras Públicas, sem que se tenha obtido qualquer efeito, as Comissões de Moradores de Santa Cruz de Benfica e da Damaia vão fazer um apelo público.

Através de anúncios nos jornais, vão-se dirigir à Procuradoria Geral da República e Provedoria de Justiça para que assumam as suas responsabilidades e actuem de forma célere perante esta ilegalidade.
Lamentamos que o anterior Provedor de Justiça, Dr. Henrique Nascimento Rodrigues, em total desrespeito pelos Cidadãos e pelas Consultas Públicas, tenha "apadrinhado" esta obra que se encontra agora em execução. Este procedimento lamentável, encorajou o Governo a avançar com a obra em total violação da Declaração de Impacte Ambiental.

O Governo e outros responsáveis políticos, conscientes das ilegalidades que estão a ser  cometidas neste último troço da CRIL, tudo têm feito para as esconder aos Cidadãos, recorrendo a declarações falsas e a propaganda enganosa. Um bom exemplo, são as imagens manipuladas, divulgadas pela Comunicação Social e colocadas em cartazes,  com o objectivo de mascarar a verdade e omitir os graves impactes desta obra, na população.

Paralelamente a estes anúncios, irá ser colocado um cartaz, em diversos locais, com o título "CRIL - Propaganda do Governo esconde projecto de Terceiro Mundo", onde serão confrontadas as imagens "manipuladas" do Governo com algumas fotos actuais, que mostram bem o contraste com a triste realidade. [ ver cartaz ]

As Câmaras da Amadora e de Lisboa e as Juntas de Freguesia da Damaia e de Benfica, têm grande responsabilidade neste processo, pelo facto de terem colocado “outros interesses” à frente dos interesses dos Munícipes e terem permitido que o Governo avançasse com um projecto ilegal, de Terceiro Mundo, que atenta contra a qualidade de vida e a saúde das Populações e não defende o Interesse Público.